Degravação e transcrição são a mesma coisa? Supostamente sim

transcrição de áudio e degravação
Sempre tratei degravação e transcrição como sendo a mesma coisa. Pensava que era um regionalismo, pois meus clientes do Sul do Brasil falavam "degravação" enquanto clientesde São Paulo para cima falavam "transcrição". Mas fui notando que a palavra vai aparecendo em outros contextos. Após mais de ano refletindo, segue minha conclusão.

O que é uma degravação de áudio e qual a diferença em relação à transcrição de áudio?

Nosso intuito de falar sobre degravação de áudio e transcrição de áudio e fazer a comparação desses termos é estabelecer uma linguagem comum entre o cliente e nossa área de produção. Temos observado que o termo degravação vem sendo entendido por muitos como alto diferente de transcrição de áudio. De onde vem essa percepção do mercado?

Consultei três dos melhores sites que têm como mais publicado sobre essa questão e vou tomar emprestado deles seus entendimentos.

O termo degravação de áudio segundo outras empresas de transcrição de áudio

A degravacao.com.br: a degravação é apenas jargão que advogados e policiais usam para se referir à transcrição de áudio. Já segundo a Audiotext, eles respondem à pergunta “O que é transcrição de áudio em texto ou degravação?” Como sendo a passagem do conteúdo de um áudio gravado para um texto. Já o site Mundo Escrito nos informa diferentes definições de degravação, sendo que degravação está mais ligado ao meio jurídico e à fé pública da atividade de servidores públicos da Justiça.

O que é então transcrição de áudio? É a mesma coisa que degravação?

Todas as empresas declaram que transcrição de áudio é sim possível de ser chamado de degravação desde que realizada com fins jurídicos. Portanto, transcrição de áudio é a atividade de passar para um texto editável, o que chamamos de converter um áudio para texto, ou ainda converter o áudio em um texto editável de acordo com o que nós, transcritores ou degravadores – como ueira chamar – interprete.

O video é esclarecedor, após um ano e meio de monitoração na palavra diferença entre degravação e transcrição, conversando com peritos, transcritores do MP de dois Estados, assim como transcritores especializados com o trabaklho para a Justiça, chegamos à cunhar uma conceituação sobre o assunto.

No meio acadêmico não me lembro de ter ouvido referências à degravação de texto, nem nos textos de Marcuschi nem de Prettgi que foram consultados. Queiroz também não toca no assunto.

Academicamente falando, a degravação de áudio tem as características de uma transcrição de áudio literal, que alguns chamam de ipsis litteris ou ipsis verbais. Então é uma das formas de transcrição de áudio, já que degravação no meio acadêmico linguístico não trata separadamente. Já na área jurídica a degravação é realizada por um servidor público. Mas se a presença de um funcionário público que taquigrafasse e registrasse o conteúdo da gravação em texto, se a presença desse funcionário era necessária, recentemente temos recebido oferta de alguns Tribunais de Justiça nos convidando para participar de licitação de serviços de transcrição de áudio.

Os próprios servidores da Justiça reconhecem a transcrição de áudio como sendo uma degravação de áudio, já que não fazem menção a fé pública quando terceirizam essa parte do serviço, como eu mesmo, o autor deste post foi contratado como quarteirizado de empresas transcrição de áudio terceirizadas que necessitavam de freelancers.

A questão do sigilo nas degravações

A questão do sigilo para transcritores é sagrada. Há um tácito acordo entre as pessoas que atuam como freelancers e as empresas que podem ser terceirizadas dos tribunais que as repassam a outros transcritores freelancer. Há casos em que transcritores freelancer quarteirizam o serviço para parentes o amigos, essa é a triste realidade do mercado.

Existem empresas com termos de sigilo pesadíssimos: são cobradas multas de até R$ 200 mil, foi o que um candidato a transcritor me relatou, perguntando se ele devia aceitar ou não assinar um termo desses. Creio que para exigir isso de um freelancer, a empresa deve ter tido problemas anteriores. O candidato a transcritor também informava que havia cláusula prevendo uma multa de 90% sobre o valor do JOB em caso de atraso ou não entrega, a ser descontado do pagamento. Isso também me impressinou um bocado. Mas será que a empresa que exige isso de seu colaborador está errada? Para cada ação há uma reação, velha lei newtoneada, que parece também valer para o mundo da escrita. Assim, imagino que se a empresa eestá sendo radical é porque é necessidade dela fazer isso.

Nosso maior trunfo acho que é a confiança que estabelecemos em nossas parcerias: nem mesmo a CIA escapou da falha de segurança e sigilosidade: você se lembra do escândalo dos documentos secretos vazados pelo servidor público dos Estados Unidos que causou verdadeiro mal-estar em todo o mundo? O Edward Snowden? Pois é. O que tentamos fazer é além do termo de sigilo, trabalhar com pessoas que gostem de transcrever e procuramos não cometer erros para com essas pessoas. Pessoas decentes se sentem atraídas para trabalhar com propostas decentes, não acreditamos em ameaças ou cláusulas contratuais leoninas.

A questão da nota fiscal na degravação

Nota fiscal é obrigação de empresas que não estejam cadastradas como MEI (microempreendedores individuais). Somos uma rede de microempreendedores individuais que juntaram esforços para em harmonia dividir os clientes, visto que sozinhas não conseguiriam atender às demandas requeridas, nos apoiando mutuamente em casos de prazos apertados.

Quando solicitado, emitimos sim nota fiscal com toda a tranquilidade.

Características especiais da degravação de áudio

A degravação de áudio é um dos serviços oreferidos pela Rede. Ela tem características todas especiais que respeitam a oralidade. Os né, os tá, os uhum, aham, os gaguejamentos, as pausas sonoras vocálicas como eh… a… o, tudo isso é mantido. Procuramos não perder nada e isso está previsto no Padrão Brasileiro de Transcrição da ABNT.

Você podoe saber mais talvez goste de ler o artigo quais são os tipos de tranascrição.

Adicionalmente sinalizamos incompreensão e introduzimos a ideia de hipótese silábica de escuta, que tem a sinalização do padrão ABNT, representado entre parênteses, mas que tentamos ao máximo nos utilizar das sílabas existentes no português para tentar reproduzir o som de uma palavra que julgamos ter ouvido.

Adicione a isso onomatopeias, como o som através de parênteses duplos ((((toc)))) ((((toc)))) ((((toc)))) por exemplo, o que enriquece muito uma transcrição de áudio e que não está proibido seu uso na degravação de áudio jurídica.

Um exemplo que eu citaria é que certa vez um funcionário estava sendo maltratado pelo empregador, que disse: “Vamos, anda”, ((chuac)) ((chuac)) ((chuac)). Esse som de beijinho se refere ao som que os vaqueiros fazem para que o cavalo ou o burro de carga comece a andar ou trotar. Quando o juiz viu isso e ouviu o áudio, deu ganho de causa ao funcionário, pois comprovou-se realmente os maus tratos do patrão. Como exprimir isso sem sinalizar onomatopeia? Um caso inusitadíssimo, mas que com certeza foi útil ao advogado de defesa que contratou nossos serviços.

Apresentação formal de uma degravação de audiência

Apresentamos nossas degravações de audiência como manda o figurino: já dissemos que apresentamos uma transcrição de áudio literal. Faltou apenas dizer que identificamos cada personagem conforme solicitação do cliente. Podemos utilizar:

JUIZ: com caixa alta

Juiz: letras normais

Ou da forma que o clientes olicitar. Nossas ininteligências são marcadas segundo o elegante Padrão Audiotext, que nos autorizou o uso e a incorporação, assim como sua apostila, gentilmente cdida, a quem agradecemos publicamente, prestando nossos respeitos.

Por tudo o que lemos, cheguei à conclusão de que degravação de áudio é apenas outra forma de se referir à transcrição de áudio estilo literal. Posso lhe assegurar isso, de acordo com minha própa vivência de sete anos de atuação profissional na área.

Conclusão sobre o que é degravação e transcrição de áuio

Não entre em pânico se o transcritor disser que fará sua transcrição literal quando você pedir degravação de áudio. Degravação de áudio é a transcrição literal, garanto a você. E se o transcritor fizer qualquer serviço que difira de uma transcrição de áudio literal, é porque ele não leu esta postagem.

Um abraço e até a próxima.