Transcrever áudio em texto

transcrever áudio em texto

O que é transcrição de áudio e degravação.

O que é transcrição de áudio e degravação

o que é transcrição de áudio e degravação

o que é transcrição de áudio e degravação

Transcrever (ou degravar) consiste em escrever, fazer a transposição para um texto escrito e editável do que se ouve em uma gravação de áudio ou vídeo. A degravação é um tipo específico de transcrição de áudio voltado para fins judiciais ou policiais, pois se trata de um jargão do meio jurídico, tendo um formato específico direcionado a tribunais. Os padrões usados pelos policiais e pela Justiça apresentam diferenças do Padrão Brasileiro de Transcrição (Padrão ABNT).

Passamos a apresentar os tipos de transcrição de áudio, de modo a escolher o que melhor se adapta ao seu caso: uma transcrição editada, acadêmica, literal ou degravação.

É importante você saber que existe tanto a transcrição cuja escrita ocorre com a gramática correta quanto a transcrição adaptada fiel à fala com seus erros gramaticais anotados. E justamente nessas anotações com a gramática correta que a ABNT permite e recomenda que se anotem as ocorrências de fala que acabam destoando da ortografia formal. Erros gramaticais são aceitos. Saiba mais como isso ocorre em cada tipo de transcrição de áudio.

Tipos de transcrição e degravação

O que é transcrição editada: reportagens de personalidades importantes recebem tratamento gramatical e são exibidas em revistas e jornais de grande circulação com o uso do português gramaticalmente correto, com a finalidade de evitar situações de vexame. Entrevistar altas autoridades como presidentes da república que falam com certa abertura, informalidade e e generosidade pode causar constrangimentos se escritos da forma como se falou. Pode soar mal quando transcritas sem correção devida. Neste caso dizemos que a transcrição foi editada. Desde que se guarde a gravação original, não há mal em suprimir frases consideradas pouco importantes ou fora de contexto e duas horas de entrevista podem ser resumidas em poucas páginas, mantendo a característica essencial da conversa. Quem usa esse tipo de transcrição de áudio são jornalistas e editores de livros e revistas. Blogueiros que criam conteúdos e radialistas também necessitam de transcrição de áudio editada caso queiram criar material didático ou desejem transformar o conteúdo de reportagem em material escrito.

O que é transcrição literal: também conhecida como ipsis litteris ou ipsis verbis, é o tipo de transcrição de áudio na qual se anotam os erros de português cometidos sem que ocorram correções. Os famosos “né”, “tá”, “aham”, “uhum”, “hm”, “ah-ahm”, são mantidos. Gaguejos e frases incompletas não são cortadas e procura-se manter o registro integral do que foi dito. Esse tipo de transcrição de áudio é o que se adota para degravação, usado por tribunais e policiais. Essencialmente degravação é uma transcrição de áudio literal. Na transcrição de áudio literal são admitidas as anotações previstas pela ABNT: pro, pra, pros, pras, num, numa, nuns, numas, vô e vó. Pronomes são grafados corretamente, ou seja, grafa-se “você”, mesmo que a pessoa tenha dito “ocê”. O “ocê” assim como demais contrações como “minduin”, “mânu”, “véio” são anotações de uma classe de transcrição de áudio específica chamada transcrição fonográfica (ou fonêmica). A transcrição fonêmica tem um objetivo diferente da transcrição literal.

O que é transcrição fonográfica: também conhecida como transcrição fonêmica, a anotação de atos de fala aqui torna-se extrema, já fugindo totalmente das regras gramaticais e de ortografia. Aqui se anotam “cê viu pra mim os treco lá, Mãnu?”. A palavra “você”, assim como outras palavras, durante o processo de comunicação oral sofrem fortes contrações. Se uma criança disser “plofessola”, trocando R ou L, anota-se exatamente como foi falado. A finalidade da transcrição de áudio fonográfica é mais linguística e visa estudar fenômenos de regionalismo ou informalidade na comunicação. Existe a transcrição de áudio fonética, que tem por finalidade o estudo da fala do indivíduo com desvios fonoaudiológicos, que passamos a descrever a seguir.

O que é transcrição fonética: nessa modalidade de transcrição de áudio utiliza-se o alfabeto fonético internacional que abrange teoricamente todos os fonemas de todas as línguas, passando pelo português, chinês, inglês, japonês, árabe, espanhol, entre outros. Aqui leva-se em conta a anotação do som ao extremo, onde recorremos até mesmo ao alfabeto grego para representar determinados fonemas. Somente fonoaudiólogos especializados podem produzir uma transcrição fonética, a www.TRANSCRICOES.com.br não encontrou ninguém que fizesse esse serviço, então informamos que não possuímos disponibilidade para executar a transcrição fonética.

O que é transcrição acadêmica: esta é uma tendência nossa, sabemos que anotar momentos de silêncio e outras ocorrências de fala podem ser importantes ao projeto acadêmico. Recorremos à adaptação das regras ABNT para apresentar as características da fala presentes no discurso usando anotações próprias: “((cof)) ((cof))”, por exemplo representa a onomatopeia para tosse, que poderia ser anotado como ((tossiu duas vezes)) também. Sons como “((clap))” quando alguém bate palma de contentamento enquanto ri ((riso)) pode ser indicativos sobre o estado de espírito do falante. ((silêncio)) ou ((enfatizou)) são anotações importantes. A www.TRANSCRICOES.com.br foi pioneira no uso dessa abordagem e hoje várias empresas já adotam essas anotações, como nossos transcritores puderam comprovar quando prestam serviços para outras empresas de transcrição de áudio. Você pode consultar as Regras de Transcrição de Áudio da TRANSCRICOES.com.br para maiores informações. Você pode também consultar Normas para transcrição de entrevistas da UUS caso desejar comparar os dois.

Quem é o transcritor

Dizem que o transcritor apenas anota o que escutou, portanto é apenas um digitador. Nada poderia ser mais inexato que isso. Se bastasse anotar as palavras apenas, o dispositivo de transcrição automática de áudio ativado de seu smartphone seria um excelente transcritor. Seria tudo muito simples se assim fosse, mas para anotar direito é necessário compreender na íntegra o que foi dito, anotar com a grafia correta, usar a crase e outras regras de acentuação, assim como pontuações adequadas no lugar correto, sob pena de inverter o sentido das coisas faladas. É necessário também entender o que está sendo dito, ou seja, o transcritor precisa dispor de um arsenal de habilidades e um extenso vocabulário e conhecimento, além de capacidade intelectual para pesquisar no Google aquele termo que pareceu ter ouvido, não simplesmente “chutar” e escrever palavras não comprovadas e pronto. É uma atividade que requer exatidão e muita, mas muita disposição. Por exemplo, quando ouvi de uma pessoa com sotaque do interior paulista falar algo como “estigerb”, levei um tempão pesquisando na internet por voz (o Google faz pesquisa por voz) e não encontrei. Fui consultar o cliente e fiquei sabendo que se tratava de Estiva Gerbi, município paulista com aproximadamente 10 mil eleitores. Palavras estrangeiras também são muito comuns de aparecerem, assim como Moodle (que transcritores experientes já ´escreveram “mudo” por não conhecerem o recurso). Portanto um transcritor também é um trabalhador intelectual, longe de ser apenas um mero digitador de palavras aleatórias. Dentro do contexto é necessário investigação para entregar um trabalho decente com o mínimo de erros possível dentro do limitado orçamento que impõe restrições ao nosso tempo de trabalho dedicado à atividade. 

Quem é o revisor e auditor

O revisor e o auditor são os transcritores mais experimentados em nossa rede. Com anos de janela, essas pessoas são raras e disputadas a tapa no mercado. São pessoas que tem experiência com diversos tipos de trabalho, experimentaram diversas situações de áudios complicados e se mostraram ser fieis à metodologia de transcrição de áudio que, corretamente aplicada, permitem um alto índice de acertos. Sem revisores e auditores experientes, uma empresa de transcrição de áudio ficará restrito à própria capacidade do transcritor empreendedor, impedindo o crescimento da organização.

O que garante a qualidade em transcrição de áudio

É ter gente experiente à disposição da organização que já comprovadamente tem um histórico de entrega pontual, compromisso com qualidade, bom conhecimento de português, algum conhecimento de inglês e alguma experiência com espanhol e outras línguas (conhecimento rudimentar) assim como um bom conhecimento geral (história, geografia, sociologia e administração) entre outros. Tudo isso aliado a muita vontade de trabalhar com esmero e capricho, sem preguiça, com constância, é que garante a qualidade. A transcrição de áudio depende de pessoas, boas pessoas trabalhando com prioridade totalmente dedicado ao compromisso de um trabalho sério e honesto. É isso que garante a qualidade da transcrição de áudio, bom senso, habilidade, talento e muita, muita disposição. Isso só é possível quando a pessoa descobre a sua vocação para o trabalho, portanto mesmo em tempos difíceis não esmorece e se mantém fiel aos princípios de uma boa transcrição de áudio. Portanto a qualidade depende de gente de princípios, gente correta e séria. Nada de aventureiros ou gente sem compromisso.