Exemplo de Degravação e exemplo de transcrição

Listar um exemplo de degravação e um exemplo de transcrição de áudio pode ser talvez a melhor forma de o leitor rapidamente entender o que significa cada um dos serviços oferecidos pela www.TRANSCRICOES.com.br.

Na coluna A, à esquerda, demonstraremos como uma pessoa se expressa e na coluna direita a forma como deveria ser falada.

Palavras proferidas (A) Palavras anotadas (B)
cê, ocê, você, cês, ocês, vocês você, vocês
pro, pra, pros, pras para o, para a, para os, para as
eu tava, nós estava eu estava, nós estávamos
num foi nada disso não foi nada disso
eu num sabia eu não sabia
num, numa, nuns, numas em um, em uma, em uns, em umas
procê, procês para você, para vocês
nós tava ali nós estávamos ali

Exemplo de degravação e exemplo de transcrição

Anotar a fala muito próximo de como foi proferido pelo falante no discurso dele, esse é o princípio básico da degravação; anotar com ortografia correta a fala publicada é a finalildade da transcrição.

Talvez seja vantajoso você visitar algumas normas de como fazer transcrição ou degravação.

A degravação é usada para a Justiça e é uma espécie de transcrição de áudio que chamamos de literal, ou ipsis litteris ou ainda ipsis verbis.

Já a transcrição, conforme o exemplo de transcrição acima, tenta afacilitar a leitura do que foi falado, adequando-se às normas cultas ortográficas e quando possível gramaticais.

Neste caso temos a possibilidade de uma transcrição tendendo para o literal, onde anotamos conforme a fala mas sem sermos radicais ao ponto de gerar grande desconforto na leitura.

Degravação é diferente de transcrição?

A degravação é um tipo muito particular e especial de transcrição de áudio, em que se é usado muito na Justiça ou ainda em transcriçção que necessite de uma interpretação psicológica, tem finalidade linguística e também de análise psicológica e social.

Aproveite e conheça mais sobre degravação em como fazer uma degrvação.

saiba mais sobre degravação
saiba mais sobre degravação

A chamada transcrição literal (representada pela degravação) é utilizada muitas vezes em verbatins.

Verbatim é uma degravação para citação direta

O verbatim que se pretende acadêmico, é aquela citação em que a maneira como foi falado é mencionado entre aspas nos trabalhlos de mestrado e doutorado ou ainda em monografias e trabalhos de conclusão de curso (TCC).

Muitas vezes se colocam entre aspas o conteúdo da fala e quando o erro de português é acentuado, coloca-se usualmente (sic) logo após o erro localizado para mostrar que o acadêmico não escreveu errado, é um erro transcrito, degravado da forma como foi falado. O (sic) é representado obrigatoriamente com letras em itálico.

Degravação, portanto, pode ser usado para processos judiciais. Policiais usam frequentemente essa forma de transcrever, que os fonoaudiólogos chamam de transcrição fonográfica ou fonêmica.

Transcrição lilteral

Uma transcrição literal já suaviza as nuances da fala. São admitidos erros gramaticais como o uso de num, numa, nuns, numas, pro, pra, como no caso de pra caramba, e admite vô e vó, palavras não ortograficamente corretas.

Admite-se também anotações com erros gramaticais, como por exemplo “Eu levei elas pra tomar sorvete no parque”.

Transcrição editada

Transcrições editadas já não admitem erros de português e erros gramaticais são corrigidos. Sua finalidade é que seja publicada imediatamente conforme foi transcrito. Em teoria, o cliente não precisaria fazer nenhuma edição. Entretanto, recomenda-se ao cliente sempre fazer uma pequena revisão final por conta de questões de prosódia.