TRANSCRICOES.com.br - WhatsApp ou Telegram (11) 94844-3344 - contato@transcricoes.com.br

Nicolly Morais
Nicolly Morais

Você está aqui: / Ouvir música enquanto transcreve: é possível?
2015-11-20
Ouvir música enquanto faz transcrição

Antes de abordar o tema, deixe me apresentar brevemente. Sou a Nicolly da TextLab e a partir de hoje estarei colaborando aqui no blog. Escolhi estrear a minha participação falando sobre música e produtividade.

Você com certeza já deve ter lido diversas pesquisas sobre produtividade que apontam que ouvir música enquanto trabalha pode aumentar o seu desempenho nas tarefas profissionais sensivelmente. Mas esses estudos não foram feitos com transcritores, certo? Então vamos abordar neste artigo se essa prática tão comum e agradável pode valer para nós que trabalhamos justamente ouvindo e suas implicações na transcrição de áudio.

Sempre tive o hábito de trabalhar com música. Mas isso eu fazia no meu trabalho com clipping. Quando migrava para o da transcrição de áudio, automaticamente já desligava o iTunes e me preparava para escutar um novo áudio, muitas vezes sentindo falta de ouvir aquele sonzinho que melhorava o meu humor.

Música de videogame

Então, certa vez, em uma conversa informal por Skype com o Carlos daqui da Transcricoes.Com.Br, desabafei sobre esta desvantagem do nosso trabalho, que teoricamente era o único no mundo que não poderia ser feito escutando música.

Para a minha surpresa, ele riu e descordou, e disse que não só ouvia música, como ouvia também um tipo específico, que era música de videogame. Eu já tinha lido sobre isso anteriormente, e logo pensei: “Por que não tentar?”.

Dizem que a música de videogame não só é superestimulante, como também te ajuda a se concentrar mais e torna tarefas árduas do seu trabalho em um jogo que precisa ser terminado e vencido para você pular para a próxima fase.

Logo de cara eu adorei a ideia, escolhi uma música de game, coloquei como plano de fundo e dei play no áudio que iria transcrever.

O resultado não foi como eu esperava, e aí entra uma explicação que O Poder dos Quietos trata muito bem sobre introvertidos e extrovertidos.

Os reativos

Um estudo foi feito com os dois grupos, onde ambos foram colocados jogando o mesmo jogo.  Os introvertidos mostraram um desempenho inferior em relação ao outro grupo quando o volume do jogo foi aumentado. A conclusão do estudo foi a de que pessoas muito reativas absorvem rapidamente excesso de estímulos. Este excedente se transforma em inquietação e perda da concentração imediata.

Voltando para o nosso artigo, independente de você ser um transcritor extrovertido ou introvertido, a boa notícia é que é possível, sim, ouvir música enquanto transcreve. E eu vou te contar como, quando e por que você pode dar o play.

Como:

  1. Escolha músicas calmas

No nosso trabalho, precisamos exercer habilidades cognitivas. Então músicas mais calmas podem ser uma boa pedida para te estimular na medida certa sem interferir no trabalho. Existem vários tipos (instrumental, ethereal, new age, shoegaze, dream pop, surf music). No Spotify você pode encontrar uma boa variedade, colocar no modo ‘shuffle’ (ele embaralha as músicas e você não sabe qual será a próxima) e ser feliz.

  1. Escolha músicas que são cantadas, mas cujo idioma você não domina

Enquanto transcrevemos, precisamos prestar atenção no que os interlocutores ali falam, e não no que o cantor canta. É quase impossível transcrever ouvindo aquela música que você mais ama cantar, porque durante o nosso trabalho a área do nosso cérebro responsável por reconhecer uma letra ou melodia não poderá trabalhar simultaneamente. Alguns estudos já comprovaram que ler e memorizar conteúdos enquanto se escuta música é algo não tão simples de ser feito.

  1. Coloque a música em um volume mais baixo do que o normal

O volume é muito importante, porque quanto mais alto, mais sobrepõe o áudio, e mesmo que você esteja querendo se concentrar para outra tarefa, o volume alto pode desconcentrar ou causar muita euforia. O ideal é que ela fique como um suave plano de fundo musical.

Quando:

  1. Quando o áudio é ótimo. Para começar, o áudio precisa necessariamente estar em uma qualidade profissional, gravado por um gravador excelente e com todos os cuidados que se deve ter para deixar o ambiente isolado acusticamente. Caso o áudio tiver ruído, avalie até que ponto a música ainda ajuda, senão ela poderá só atrapalhar.
  2. Quando você mora com alguém e tem aquele horário em que os barulhos aumentam porque as pessoas chegam em casa.
  3. Quando os seus vizinhos que fazem mais barulho do que os próprios moradores da sua residência resolvem investir na barulheira (e como eles são criativos!).

Por quê?

  1. Porque quando você parar o áudio, seja para terminar de digitar ou para pesquisar algo, nenhum dos barulhos ou ruídos mencionados anteriormente irão te desconcentrar, te atrapalhar, fazer com que você interrompa o trabalho ou o ponto de foco em que você se encontrava.
  2. Porque é uma forma interessante de tornar o trabalho mais divertido
  3. Porque a música calma relaxa a gente, dissolve as inquietações e pode nos deixar em um ponto quase de meditação que pode ser benéfico para o trabalho, principalmente se o assunto do seu áudio estiver te causando algum tipo de estresse ou ansiedade.

Nem tudo é a ferro e fogo, take it easy!

Cada pessoa funciona de uma forma. Pode ser que o que eu escrevi acima não sirva para você e você consiga trabalhar muito bem em silêncio, ou mesmo com barulhos ambientes. Ainda existe a questão do déficit de atenção. Tem pessoas que definitivamente só conseguem focar em uma coisa, e qualquer som diferente daquele que precisa ser focado pode atrapalhar o trabalho de transcrição (e é para isso que a música serve, mas depende).

Meu namorado é um caso. Ele trabalha comigo também como transcritor e gosta muito de música, mas se dispersa fácil com elas; para ele, trabalhar ouvindo qualquer tipo que seja é impossível. Com as calmas, é capaz de relaxar tanto ao ponto de dormir – e com as mais empolgantes, nem se fala. Segundo ele, mesmo que houvesse uma opção no Express Scribe de tocar uma música toda vez que o áudio fosse pausado seria complicado de trabalhar, pois ele acabaria esquecendo as palavras para transcrever. Porém o mesmo ocorre ao se ouvir ruídos excessivos no ambiente familiar. Ambas as situações inviabilizam o trabalho de transcrição. Então faça um teste e descubra que tipo de pessoa é você na hora de ouvir música e transcrever.

Para se inspirar

Confira a lista com dez músicas que Steve Jobs ouvia para estimular o seu cérebro e sua criatividade. Algumas você terá que ouvir antes de iniciar o trabalho, outras podem ser durante a transcrição:

01. “Imagine” (John Lennon)
02. “Hard Headed Woman” (Cat Stevens)
03. “Highway 61 Revisited” (Bob Dylan)
04. The Goldberg Variations (Johann Sebastian Bach)
05. “Truckin” (The Grateful Dead)
06. “Late for the Sky” (Jackson Browne)
07. “Blue in Green” (Miles Davis)
08. “Beast of Burden” (The Rolling Stones)
09. “Won’t Get Fooled Again” (The Who)
10. “Blowin’ in the Wind” (Peter, Paul & Mary)

About the author:

Top