TRANSCRICOES.com.br - WhatsApp ou Telegram (11) 94844-3344 - contato@transcricoes.com.br

Transcricoes
Transcricoes

Você está aqui: / Diário de um transcritor 04 novos desafios
2016-03-21
diário de um transcritor 04

Diário de um transcritor 04, novos desafios.

Diário de um transcritor 04 traz Jerry mais feliz pois foi elogiado porque se mostrou sempre amável com essa transcritora que está passando alguns serviços. E parece que a sorte começa a sorrir para ele. Seguem então novos desafios, pois mais gente começa a fazer contato. A partir do momento que Jerry adotou um e-mail profissional, as coisas começaram a andar um pouco mais rápido. Ele começou a caçar em classificados gratuitos e percebeu que havia muita gente que atuava na área.

Na verdade foi como comecei a pesquisar em sites de classificados, como as pessoas estavam se cadastrando. As que mais chamam a atenção são por exemplo, fulanotranscritor@exemplo.com.br ou jtranscritor@exemplo.com. Achei engraçado que tinha algo como lindinha23@exemplo.com, ou morenasexy21@exemplo.com em anúncio para transcritores. ((acha graça)) Tinha uma piada com nome de alguém em e-mail, mas não me lembro mais.

Diário de um transcritor 04, um transcritor legal.

Transcritor X é um transcritor que repassa mais áudios que a primeira, mas a formatação dele é mais chata e os áudios são um pouco piores. Os prazos são os mesmos: todos para entrega em 24 horas.

“Oi, Jerry… obrigado pela transcrição. Gostaria que você colorisse a parte que não dá para entender em vermelho e colocasse marcação de tempo. Segue exemplo: (incompreensível 00:00:00). Obrigado, Transcritor X”.

E Jerry passou a colocar tempo e a colorir a palavra incompreensível em vermelho, palavra por palavra.

Devo confessar que nos primeiros tempos, eu usava o Windows Media Player e copiava o tempo. Parava o que estava fazendo no Word, anotava o tempo no caderno e depois transcrevia o tempo na revisão. Um trabalho medonho. Ocorre que também as palavras eram mais difíceis, as entrevistas eram de um laboratório, um técnico visitando médicos. O tema era drogas contra câncer, ao que eu não estava acostumado.

Diário de um transcritor 04, regras diferentes para transcrever.

“Oi Jerry. Obrigado pela transcrição. Queria que você tomasse mais cuidado com o que é transcrito. Minhas transcrições precisam de correção. Não escreva pra ou pro, e procure corrigir mais gramaticalmente. Os médicos ficam bravos e eles dizem que não falaram tão errado assim, ok? Atenciosamente, Transcritor X.”

Ué, a Elisabete quer que eu ponha pra e pro. Agora o Transcritor X pede para evitar pra e pro, né, e essas coisas. Vou anotar as regras para na hora da revisão ver se eu estou fazendo certo.

Cada empresa de transcrição tem determinado conjunto de regras, que normalmente são estabelecidas pelos clientes, ou por algum membro que pesquisou mais a fundo sobre como se transcrever. As empresas estão procurando por pessoas que transcrevam conforme o estilo delas. Muitas das vezes acontece que o que uma empresa faz acaba entrando em conflito com a outra. A falta de um acordo “ortográfico” faz com que transcritores tenham dificuldade de migrar de uma empresa para outra.

Diário de um transcritor 04, o que é transcrição editada e literal?

Segundo a transcritora Elisabete, devo escrever pra e pro, né, não cortar repetição de palavras e usar “…” quando alguém gaguejar, por exemplo, “de… de… de… de alguma coisa”. OK. Anotado.

Segundo o transcritor X, não devo usar pra, pro, né, devo usar (incompreensível 00:00:00) colorido de vermelho com anotação. Anotado. Médico não fala de forma errada. Preciso anotar o que eu entendi e fazer correção dos erros gramaticais.

Mesmo tribunais variam de um Estado para o outro. Penso eu que você deve se fidelizar a algumas poucas empresas, internalizar bem as regras de cada empresa. Informalmente, muitas empresas conseguem repassar essas informações no dia a dia.

Diário de um transcritor 04, uma surpresa agradável.

Oba, recebi um manual de uma empresa. É o manual do transcritor dela. Vou dar uma lida com atenção. Parece que eles fazem um teste para a gente entrar. Legal.

Se é para elogiar, que se elogie. O primeiro material por escrito que eu vi foi enviado por uma transcritora que trabalhava que nem uma condenada para um terceirizador de transcrições. Era o manual do tribunal de um Estado. Gostei, usava pra, pro, dispensava a fala do juiz quando ele concordava com uhum demonstrando seu entendimento, etc.

Um reconhecimento público ao pessoal Audiotext.

Mas, o primeiro manual de verdade foi o Guia do Texter da audiotext.com.br, a verdade seja dita. Material maravilhoso, aprendi muito lá e me esforcei bastante para fazer o nosso próprio. Eles iniciaram na mesma época que a gente, e eles hoje são provavelmente a maior empresa de transcrições de áudio do Brasil. Nós ainda continuamos um pequeno escritório na zona rural. Torço muito por vocês, gente honesta, trabalhadora e batalhadora.

E Jerry fez o teste, esperando ser chamado. E foi, e começou a transcrever para três empresas. A vantagem é que todos perguntavam quanto tempo ele conseguiria transcrever de um dia para o outro. Como ficava chato recusar, Jerry pegava de todos, pelo menos um pouco. Até que ele começou a pegar tanto trabalho que começou a se descuidar da revisão.

Empresas bem estruturadas têm revisores que são transcritores que se identificaram com a profissão e primam pela qualidade. Nem sempre as empresas apontarão os erros todos, mas apenas aceitarão ou chamarão a atenção do transcritor, pedindo um genérico “mais empenho na revisão”, sem indicar o que está exatamente errado. Quando os erros são muitos, acho lícito não se pagar pela transcrição, pois o tempo que o supervisor leva é maior do que o tempo da transcrição. Assim, é melhor pegar o serviço e refazer.

About the author:

Web aprendiz. Iniciou-se em 2012 na internet em busca de conhecimento. Desde então se encantou com transcrição de áudio.
Top